16 DE JUNHO DE 2022. POR THAÍS FERREIRA

ABCZ participa da pesagem de entrada do Teste de Desempenho de Touros Jovens (TDTJ) a pasto da Embrapa Cerrados

ABCZ participa da pesagem de entrada do Teste de Desempenho de Touros Jovens (TDTJ) a pasto da Embrapa Cerrados
Na manhã desta quarta-feira(15), o conselheiro da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), Eurico Velasco de Azevedo Neto, representou a entidade na pesagem de entrada do Teste de Desempenho de Touros Jovens (TDTJ) a pasto da Embrapa Cerrados, realizada no Centro de Desempenho Animal, em Santo Antônio de Goiás (GO).
“Uma prova importante, com animais de muita qualidade, que, com certeza, contribui para o nosso trabalho a favor do melhoramento das raças zebuínas!”, comentou Eurico.
A avaliação, que é realizada na modalidade a pasto, conta este ano com a participação de 190 animais das raças Brahman e Nelore. A ABCZ é uma das parceiras da prova que tem como objetivo identificar e selecionar touros jovens das raças zebuínas de forma acurada, avaliados e aprovados a pasto para características produtivas, reprodutivas, de carcaça e biótipo, com foco na disponibilização destes animais de alto valor genético ao mercado, principalmente para a promoção de uma pecuária de corte de alto desempenho produtivo e ambiental sob condições de Cerrado.

De acordo com o calendário da prova, a duração do processo de avaliação será de 294 dias, sendo 70 dias de adaptação e 224 dias de período de prova efetiva. As pesagens intermediárias estão previstas para acontecer a cada 56 dias. Durante as pesagens, também será realizada a mensuração do perímetro escrotal e do volume testicular.  Na pesagem final, os animais são submetidos a avaliação visual do biotipo funcional, reprodutivo e produtivo pelo método EPMURAS, com a coleta de características como estrutura, precocidade, musculosidade, umbigo, racial, aprumos e características sexuais. Os animais também serão submetidos a avaliação de carcaça através de ultrassonografia com a coleta das informações de área de olho de lombo (AOL) e acabamento de carcaça (ACAB).  Com base nas informações coletadas também são calculadas características como ganho em peso diário aos224dias (GMD224) e peso calculado aos 550 dias de idade (PC550). 

“Diversos criatórios do Brasil inteiro enviam o que tem de melhor para serem avaliados aqui. Todo o nosso processo é feito com genômica, é uma prova inequívoca de avaliação de desempenho e esta avaliação serve para os criadores calibrarem os seus programas de seleção genética e verificarem quais são os touros que produzem progênies de melhor desempenho. Todos os anos recebemos visitas de centrais de inseminação, que vem em busca de touros jovens. Hoje a prova é referência no bioma cerrado e se tornou baluarte na identificação de material genético das raças zebuínas”, explica Claudio Magnabosco, pesquisador da Embrapa Cerrados.

Além da ABCZ, a prova conta com a parceria da Associação Goiana dos Criadores de Zebu (ACGZ) e da ANCP (Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores) e com o apoio tecnológico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG).

“Com uma parceria de mais de duas décadas, a AGCZ (Associação Goiana de Criadores de Zebu) e a Embrapa disponibilizam a diversos criadores de diferentes raças zebuínas a oportunidade de participarem de uma prova rigorosa, que é concluída com a oferta de touros de excelência, testados e aprovados a pasto, em que os selecionados passam ainda pela avaliação de eficiência alimentar e são ofertados no leiloshopping que nós organizamos. Além de genômica, a avaliação genética do PMGZ e da ANCP desses animais faz com que eles sejam valorizados e acabam sendo escolhidos por centrais e criadores exigentes”, destaca o presidente da Associação Goiana dos Criadores de Zebu (AGCZ), Gilberto Marques Neto.

Usamos Cookies para personalizar e melhorar a sua experiência em nosso site. Visite nossa Politica de Cookies para saber mais.

Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies.

Aceitar