Sobre o Registro Genealógico

O Sistema Único de Identificação (SUI) foi criado em 1997. A concepção original permitia aliar uma série alfabética, de uso exclusivo do criador, ao número de RGN do bovino.

Ato de inauguração oficial do Sistema Único de Identificação pelo presidente da ABCZ - Dr. José Olavo Borges Mendes, durante a realização da EXPOZEBU 97.

Presidente da ABCZ, Dr. Jose Olavo Borges Mendes, marca o primeiro animal de acordo com o novo critério de identificação.

O Superintendente-Técnico da ABCZ, Sr. Luiz Antonio Josahkian, marca zebuíno segundo o novo critério

Zebuíno recebe marca da ABCZ e código de identificação do criador do Superintendente-Adjunto de Genealogia, Sr. Carlos Humberto Lucas.

O novo critério prevê identificação por letras e números.

Comissão de marcação posa junto a zebuíno, durante a expozebu/97.

Nova formação da Série Única

O novo formato do Sistema Único de Identificação, aprovado pelo Conselho Deliberativo Técnico da ABCZ em 2006, permite que o produtor inicie sua série numérica de RGN no número 1 e siga até 99.999. Antes, essa série era limitada a 9.999. A partir desse número, voltava-se obrigatoriamente ao número 1 acrescido da letra A, e assim sucessivamente até ZZ 9999. Com a nova sistemática o criador pode optar, quando chegar ao número 9.999, em utilizar qualquer uma das duas sistemáticas.

A mudança possibilitou a unificação do processo e modificou toda a estrutura de tratamento de informações tanto no campo quanto no escritório e no sistema de informática. A implantação do SUI reduziu em 50% o número de certificados de um mesmo animal que a ABCZ manuseia diariamente. Outra vantagens foi a eliminação da dupla identificação (RGN, que era o número seqüencial de nascimento dentro da fazenda e o RGD, que era um número controlado pela ABCZ).

Imagens e vídeos

Usamos Cookies para personalizar e melhorar a sua experiência em nosso site. Visite nossa Politica de Cookies para saber mais.

Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies.

Aceitar